Probióticos, Prebióticos e Simbióticos

 “Já esta provado que o equilíbrio entre os diferentes componentes da microbiota intestinal parece ser fundamental.”

Na avicultura de produção (em que aves são criadas zootecnicamente para produção de carne e ovos) já é conhecido o fato de germes patógenos como a Escherichia sp., a Candida sp., a Salmonella sp. e os coccídeos (além de muitos outros) atrapalharem o desenvolvimento e o crescimento das aves. Em função disso começou-se a usar antibióticos como promotores de crescimento nas rações (ao contrário do que muita gente afirma sem saber, não se usa nenhum tipo de hormônio na produção de aves para consumo, mas sim antibióticos). Atualmente, sabemos do perigo que é a administração crônica de antibióticos e do risco de se selecionar bactérias resistentes a diferentes medicamentos. Risco inclusive de se produzirem superbactérias resistentes que poderão atacar seres humanos, pois muitas delas são zoonoses (ex.: salmonelose, pasteurelose, campilobacteriose etc.).

Probióticos e Prebióticos

No início dos anos 70, descobriu-se que a presença de microrganismos naturais da flora cecal e intestinal das aves impediam que outros microrganismos patógenos conseguissem colonizar aquele ambiente. Esses microrganismos benéficos são os probióticos, formados por bactérias ácido-láticas geralmente pertencentes aos gêneros: Lactobacillus, Bifidobacterium, Enterococcus, Bacterióides e Eubacterium. Essas bactérias, além de impedir a colonização por competição e alteração do pH do trato intestinal, também estimulam o sistema imunológico, por ativação dos macrófagos e auxílio na absorção e digestão dos nutrientes. Também são usadas leveduras como o Sarcharomyces sp. Já está provado que o equilíbrio entre os diferentes componentes da microbiota intestinal parece ser fundamental para o funcionamento normal e saudável da função digestiva e geral do hospedeiro. Já os prebióticos são suplementos alimentares não digeríveis que melhoram a saúde do hospedeiro, por estimular seletivamente o crescimento da microbiota benéfica do ceco e intestino das aves. Eles podem ser carboidratos, proteínas, peptídeos, lipídeos etc. A substância mais utilizada como prebióticos são oligossacarídeos. Os oligossacarídeos mais usados são frutoligossacarídeos (FOS) e os mananoligissacarídeos (MOS).

Simbióticos

Nada mais é do que uma combinação de probióticos e prebióticos em um mesmo produto. Eles têm a vantagem de, além de trazerem mais bactérias benéficas ao trato gastrintestinal, trazerem também substâncias que estimulam o desenvolvimento da flora enteral da própria ave. Todos esses produtos foram desenvolvidos para aves de produção, mas hoje já esta provada a sua eficiência em todo o tipo de animal e até em seres humano. O uso dessas substâncias na dieta de aves ornamentais mantém a saúde e diminui a necessidade de medicamento. É indicada inclusive a neonatos e esta presente em várias papas comerciais para estimular um crescimento saudável. Não há dúvidas de que o produto realmente funciona e existem pesquisas científicas provando sua eficácia se compararmos animais que receberam probióticos ou simbióticos na dieta com animais nas mesmas condições com a ração simples. O desenvolvimento precoce e a sanidade foram superiores em todas as pesquisas para os animais que receberam probióticos.

 

« voltar Recomendar/Indicar este conteúdo

Conteúdos relacionados

Dicas Sobre Aves