Arara Canindé

 

Reino

Animalia

Filo

Chordata

Classe

Aves

Ordem

Psittaciformes

Família

Psittacidae

Gênero

Ara

Espécie

A. araraun


A arara-canindé ou ararauna apresenta a região dorsal do corpo azul e a ventral amarela, com a garganta e as fileiras de penas faciais negras. Sua fronte é de coloração verde e o bico é inteiramente negro. No Brasil é encontrada da Amazônia ao Paraná, sendo encontrada também no Panamá, Colômbia, Equador, Bolívia, Paraguai, Peru, Venezuela e Guiana.

Habitam florestas e várzeas com palmeiras (buritizais, babaçuais etc.). Geralmente fazem seu ninho em buracos no tronco de grandes palmeiras. Voam em pares ou em grupos de três indivíduos, sendo assim observadas mesmo quando em bandos de até trinta aves. Deslocam-se por grandes distâncias durante o dia, normalmente entre os locais de descanso e alimentação. Preferem sementes às frutas e, assim como outros psitacídeos, freqüentam os barreiros para obter sais minerais e complementar a sua dieta.

Caçada pela beleza das suas cores e pela facilidade com que se adapta ao cativeiro, já desapareceu em várias regiões sendo atualmente extinta em Santa Catarina, Paraguai e Bolívia, pois é uma das espécies mais procurada como animal de estimação.

Espécie ainda relativamente comum tem sua população total estimada em mais de 10.000 indivíduos, porém com tendência de declínio populacional devido a diversos fatores relacionados a alterações em suas áreas de ocorrência e a captura de adultos, ninhos e ovos para abastecer o comércio ilegal.

Vida em Cativeiro

É uma das espécies mais procurada para manutenção como animal de estimação. Adapta-se muito bem ao cativeiro, apresenta uma plumagem bastante vistosa e excelente interatividade com humanos. Seguindo a metodologia já conhecida para reprodução ex situ, sua reprodução se torna relativamente fácil em cativeiro, sendo que praticamente todos os criadores obtêm sucesso reprodutivo.

A maturidade sexual da espécie em cativeiro gira em torno de 3 anos e a produtividade pode ser imensamente ampliada se manejarmos os ovos corretamente. Na natureza reproduzem apenas uma vez ao ano com uma média de dois filhotes. Já em cativeiro podemos alcançar algo superior a 20 filhotes ao ano.

Igor Prestes da Rosa

Estudante de Ciências Biológicas

 

« voltar Recomendar/Indicar este conteúdo